Polícia

Cadeirante se arrasta até homem caído e o mata a facadas

Um homem foi morto a facadas, nesta terça-feira (26/4), em uma praça de Quartel do Sacramento, distrito de Bom Jesus do Galho (MG). Segundo a Polícia Militar, o autor do crime foi um cadeirante de 47 anos.

Testemunhas apontam que, horas antes do assassinato, a vítima, Ascione Rafael dos Santos, de 45 anos, discutiu com o suspeito. Ascione, então, foi acalmado pela namorada e passou a consumir bebida alcoólica. No fim da noite, quando estava indo embora do bar, ele caiu no chão da praça e não conseguiu se levantar.

Nesse momento, de acordo com as testemunhas, o suspeito se aproximou da vítima, desceu da cadeira de rodas e se arrastou até o homem, atingindo-o diversas vezes com uma faca. A arma estava escondida debaixo da almofada da cadeira.

Após o crime, o cadeirante foi embora. A Polícia Militar foi até a casa dele, onde confessou o homicídio e foi preso. O autor do crime foi encaminhado para a Delegacia Civil de Caratinga.

Polícia

Cachoeira: Jovem de 19 anos é assassinado a tiros

Um jovem identificado pelo prenome Wendel, de 19 anos, foi morto a tiros na noite desta quarta, 23/03, em Cachoeira, no Recôncavo Baiano.

Guarnições da Polícia Militar foram acionadas e isolaram a área do crime até a chegada de peritos do DPT de Santo Amaro, que realizaram a remoção cadavérica.

A autoria e motivação do homicídio são desconhecidas e estão sendo investigadas pela Polícia Civil.

Polícia

PM flagra trio com armas e carro roubado em São Gonçalo dos Campos

Três homens foram presos na noite de quarta-feira (23) armados e trafegando com um veículo roubado na localidade do Jacaré, em São Gonçalo dos Campos.

Segundo a polícia, uma equipe da 67ª Companhia Independente (CIPM) foi averiguar denúncias sobre suspeitos no bairro e avistou o trio ocupando um Fox, branco, com restrição de furto/roubo. Foi feita abordagem e durante a revista foram encontrados um revólver calibre 38 e uma pistola de brinquedo.

Os três homens e todo material apreendido foram encaminhados para a delegacia.

Fonte: Blog Central de Polícia

Polícia

Mulher é estuprada por 3 homens e enterrada viva; polícia busca assassinos

A Polícia Civil de Minas Gerais, por meio da delegacia de Teófilo Otoni, investiga a autoria de um crime bárbaro, que chocou a população dos vales do Jequitinhonha e Mucuri.

Joana Darc, mãe de quatro filhos, estava desaparecida desde 11 de março. A família fez campanha pela sua localização nas redes sociais durante cinco dias, até seu corpo ser encontrado, na terça-feira (15/3), enterrado no quintal de um imóvel abandonado, em Medina.

O exame de necropsia, feito pelo legista Arquimedes Rangel, do Instituto Médico-Legal de Pedra Azul, no Vale do Jequitinhonha, concluiu que Joana Darc morreu por asfixia, e que ela foi enterrada viva, depois de ser torturada, com socos e chutes. O laudo não apontou lesões como ferimentos de faca ou bala de revólver.

Quando foi encontrado, o corpo apresentava sinais de estar sepultado há mais de 72 horas. O estado de decomposição dificultou os exames iniciais da equipe do IML. Foram necessários outros exames para concluir a causa da morte como “asfixia por soterramento”, segundo informou a Polícia Civil.

Caso abalou a região

Em vídeo divulgado pela Polícia Militar de Minas Gerais, o aspirante Danilo da Silva Guedes, da Polícia Militar de Medina, disse que recebeu, em 15 de março, denúncia de que havia um corpo enterrado em uma casa abandonada, na Rua Olegário Maciel, no Centro de Medina.

“Esse corpo seria de uma mulher desaparecida desde o dia 11 de março. Durante as diligências, as equipes constataram que três autores teriam saído de um estabelecimento denominado Pagodinho, próximo a essa casa abandonada”, disse o aspirante.

Um dos acusados pelo assassinato de Joana Darc tem 21 anos e foi preso no mesmo dia em que o corpo foi encontrado. Os outros dois, de 17 e 20 anos, continuam foragidos. Segundo o aspirante Danilo, o homem preso disse que seus colegas teriam mantido relação sexual com consentimento da vítima.

O aspirante disse ainda que, após o ato sexual, um dos homens teria determinado a morte de Joana Darc. “Essa pessoa, nesse instante, teria efetuado dois golpes de faca contra a vítima e se retirado do local, e ordenado que o menor de idade terminasse de matar a vítima, e enterrasse o corpo no quintal daquela residência”.

O fato curioso na fala do homem preso, é que ele afirmou que a vítima levou dois golpes de faca, e, segundo o Aspirante Danilo, quando o corpo foi encontrado, a perícia não constatou esses ferimentos. Nem depois de um exame criterioso foram encontrados esses ferimentos.

As polícias Civil e Militar pedem aos moradores de Medina que, caso tenham alguma informação relevante para localizar os outros dois homens que participaram do assassinato de Joana Darc, façam a denúncia por meio dos telefone 181, 190, ou (33) 3753-1110.

Fonte: Estado de Minas

Polícia

Polícia investiga suspeito de matar cachorro e fazer churrasco com a carne do animal

Um homem, de 56 anos, é suspeito de matar e comer um cachorro em São Valentim do Sul, na Serra do Rio Grande do Sul. Em imagens divulgadas pela polícia, na sexta-feira (4), o homem aparece próximo a um açude, junto do corpo do animal pendurado, retirando a pele do cachorro. A polícia investiga o caso como maus-tratos.

As imagens, mostram ainda, a carne sendo colocada em espetos e assada em uma churrasqueira. Apesar do caso ter vindo a público apenas nesta semana, o delegado de Guaporé, Tiago Lopes de Albuquerque, afirma que ainda não tem a data exata de quando as imagens foram feitas.

O caso teria chegado até a Brigada Militar após uma denúncia, mas o homem não foi localizado quando os policiais chegaram ao local.

Segundo a Brigada, ele foi encontrado e abordado em via pública, dias após a denúncia. O homem confessou ter matado o animal a golpes de madeira para consumo, mas não foi preso pois não houve flagrante.

Polícia

Salvador: Major da PM é sequestrado durante assalto

Um major da Polícia Militar foi sequestrado durante um assalto na madrugada desta quinta-feira (27), no bairro de Ondina, em Salvador.

De acordo com a corporação, o policial participava de uma confraternização na casa de um amigo e foi abordado por dois bandidos no momento em que desceu para pegar o carro que estava estacionado em uma área próxima ao restaurante Sukiyaki.

Após perceberem a demora do major, que retornaria ao local da confraternização, os colegas passaram a telefonar para ele, no entanto, as ligações não foram atendidas. Após isso, segundo a PM, guarnições foram acionadas e intensificaram rondas na região.

Cerca de uma hora depois o major conseguiu entrar em contato com colegas e relatou o ocorrido. Ele afirmou que foi rendido no momento em que iria embarcar em seu carro.

Os criminosos o deixaram no bairro de Valéria. Não há informações se o veículo foi encontrado.

Polícia

Vendedora de rifa é morta em Pau da Lima

Um jovem de 21 anos que trabalhava como vendedora de rifa foi morta no bairro de Pau da Lima, em Salvador. O crime aconteceu por volta das 22h, na Rua 13 de Maio.

De acordo com a fonte do Informe Baiano, Quercia dos Santos Dias foi atingida por tiros em um bar e não resistiu.

Por meio das redes sociais, amigos e vizinhos lamentam o crime, que é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Polícia

PM baiana prende homem por agredir a própria mãe

Equipes do 4° BPM (Batalhão de Polícia Militar da Bahia), em Alagoinhas, prenderam, um homem que agrediu a própria mãe, na cidade de Inhambupe, na Região do Nordeste baiano a 153 km de Salvador.

As equipes receberam informações de populares que o suspeito teria agredido verbal e fisicamente a genitora. De acordo com o major Antônio Roque Ávila, comandante da unidade, ele foi preso e autuado em flagrante da Delegacia Territorial da cidade.

Outra ação

Na noite de sexta- feira, 12, o 4° BPM capturou um homem com um revólver e munições. Ele foi autuado por porte ilegal de arma de fogo.

Fonte: Márcia Santana / Ascom / SSP/BA

Polícia

Mãe e filha são mortas a tiros na porta de casa

Duas mulheres foram mortas a tiros na madrugada deste domingo, 24/10, em Lauro de Freitas, a 18 km de Salvador (Região Metropolitana. As vítimas eram mãe e filha, identificadas como Hilda Bernardes Ribeiro da Silva e Vanessa Angélica Ribeiro e Silva, de 60 e 42 anos, respectivamente.

Segundo informações da Polícia Civil, as vítimas estavam em casa no momento do crime. Um homem não identificado teria chegado na porta da residência delas e chamado por Hilda. As duas apareceram na porta do imóvel, quando foram surpreendidas pelos disparos.

Posteriormente, os corpos de Hilda e Vanessa ainda foram colocados em um carro e levados para a avenida José Leite, a um quilômetro de distância da casa, onde foram abandonados.

Equipes do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) foram acionadas e estiveram no local onde as vítimas foram encontradas para realizar a perícia.

A autoria dos disparos não foi revelada, assim como a motivação. O caso foi registrado na 27ª DT (Delegacia Territorial), no bairro de Itinga, que investiga os homicídios.

Polícia

Quilombola é amarrado e espancado por comerciante; Polícia Civil investiga o caso

Um quilombola foi amarrado, arrastado e agredido com pontapés por um comerciante no último sábado (11) no município de Portalegre (RN), distante 373 quilômetros de Natal.

O caso ganhou repercussão a partir desta segunda-feira (13), depois de o vídeo da agressão viralizar nas redes sociais. Nele, o quilombola Luciano Simplício, 23, aparece deitado no asfalto com as mãos e os pés amarrados por uma corda e recebe pontapés de um comerciante identificado como Alberan Freitas -que alega que Simplício arremessou uma pedra em seu comércio.

O inquérito para apurar o caso foi aberto pela Polícia Civil ainda no sábado. Nesta terça (14), a delegada-geral do Rio Grande do Norte, Ana Cláudia Saraiva, afirmou que as imagens apontam para o crime de tortura e maus-tratos, mas que ainda é preciso aguardar o término da investigação.

Leia mais:

Vídeo: Idoso de 98 anos é acusado de matar homem após discussão no Largo Dois de Julho
Tenente morto por bandidos em Cosme de Farias pediu mais prestígio para policiais em último post em rede social

“É prematuro afirmar se o agressor vai ser indicado por tortura ou maus-tratos porque há nuances entre um crime e outro que só podem ser ditos no final da investigação”, disse.

Segundo a delegada, Freitas também pode ser indiciado por racismo, mas isso depende de elementos testemunhais colhidos no inquérito. “Também vamos apurar, a partir das testemunhas, se houve motivações racistas para a agressão. É algo que vai depender do que ele expressou naquele momento da agressão”, disse.

A possível participação de outras pessoas no crime também é investigada. O inquérito deve ser concluído até este final de semana, de acordo com a Polícia Civil.

A agressão teria acontecido após Freitas e Luciano discutirem na frente do estabelecimento do comerciante. Relatos dos moradores afirmam que o quilombola teria sido chamado de “bandido e drogado” por Freitas e acabou arremessando uma pedra contra o local.

“O que é meu eu tenho o direito de defender”, disse o agressor no vídeo, enquanto Simplício grita de dor.

Freitas afirmou à Polícia Civil, em seu depoimento, que a discussão com Simplício começou após o quilombola pedir um pouco de comida em uma confraternização do comerciante com os amigos e se recusar a sair depois de ter o pedido atendido.

Segundo ele, Simplício “se alterou” e começou a ameaçá-lo de morte. Depois de pedir para que ele se afastasse, o quilombola teria arremessado a pedra no estabelecimento, vizinho à casa em que mora. A reação teria sido uma forma de “defender o patrimônio”, segundo o comerciante.

A reportagem não conseguiu ouvir Freitas nesta terça.

Os dois foram conduzidos no mesmo dia pela Polícia Militar para a 4ª Delegacia Regional de Polícia de Pau dos Ferros, município vizinho a Portalegre, antes de o vídeo ganhar repercussão nas redes sociais.

Simplício foi autuado por depredação e Freitas, por lesão corporal. Os policiais que conduziram os dois não presenciaram a agressão.

Após a repercussão do vídeo, um áudio atribuído ao comerciante também passou a ser difundido nas redes sociais. Entretanto, até esta terça, ele não havia chegado ao conhecimento da delegada-geral.

Nele, uma voz masculina, supostamente de Freitas, afirma que repetiria novamente a agressão.

Segundo relatos de moradores da região, Simplício é quilombola da comunidade do Pega, em Portalegre, e está em situação de rua desde que perdeu os pais. A partir daí, ele teria passado a fazer uso abusivo de álcool.

A governadora Fátima Bezerra (PT), numa rede social, afirmou que havia determinado a “apuração imediata e rigorosa” do caso e que o estado “não será conivente”.

O caso também é acompanhado pela Conaq (Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos) e pela Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Rio Grande do Norte (Coeppir). As duas entidades afirmaram que estão dando apoio jurídico e de proteção à vítima.

A Conaq afirmou que o crime se configurou tortura e uma reprodução da escravidão. “Para a Conaq, a agressão foi motivada pelo racismo e a certeza de impunidade. O linchamento de jovens negros pela sociedade brasileira evidencia segregação racial e social tão presentes no dia a dia do povo preto do Brasil”, afirmou, em nota.