Brasil

CONTINUAMOS UMA MASSA COMO O GADO QUE VAI PARA O MATADOURO??

Em 1980 o Raimundo Sodré foi aclamado com a música “a massa” no festival da canção.
Hj pela manhã no meu retorno para Acupe, vi um guri aparentando uns oito anos sob a chuva intermitente vendendo hortaliças..parei o carro ao lado e perguntei sobre o preço assim como pq ele não estava na escola e o mesmo respondeu : sou matriculado mas hj preciso ganhar um dinheiro para ajudar a minha mãe. Calado fiquei e até comprei um molho mesmo sem necessidade. Isto me fez lembrar da música citada a qual escreverei algumas estrofes abaixo.

..”a dor da gente é dor de menino acanhado..
..menino bezerro pisado no curral do mundo a penar..
..que salta aos olhos igual a um gemido calado..
A sombra do mal assombrado é a dor de não poder chorar..
Moinhos de homens que nem girimuns amassados..
..mansos meninos domados, massa de medos iguais
Amassando a massa com a mão que amassa a comida
..esculpe modela e castiga a massa dos homens normais..

A massa que eu falo é a que passa fome….que mesmo estando sob a chuva, de uma maneira honesta tenta ganhar o pão..
Politicamente falando, desde a década de 80, tivemos vários governos conservadores capitalistas assim como populistas que sempre gritaram aos berros que acabariam com a pobreza assim como a fome. Infelizmente a realidade atual nos mostra o mesmo cenário de períodos anteriores. Nada mudou em nosso país varonil.
Estou convicto que o problema não é a ideologia partidária e sim as promessas que nunca foram cumpridas.
Continuamos a massa assim como o gado que vai para o matadouro.

 

Escrito pelo Professor Everaldo de Acupe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

leia também

%d blogueiros gostam disto: